Responsabilidade digital

Sem-título-1

Como se encontrar neste mundo digital? O problema é a postura que tomamos diante disto, não o tempo propriamente. O palestrante, Fábio Toledo, juiz de direito, disse que estar atualizado o tempo todo nas notícias muda nosso humor, nos arrasta para baixo. Os e-mails, mensagens, posts influenciam nosso humor, porque são muito bem pensados e planejados para isso. E, porque deixamos o coração solto. Nós podemos resistir à tentação de não usar o celular ou outra tecnologia antes de dormir, caso contrário, podemos acabar perdendo uma hora de sono. O mundo digital tem muitas coisas boas, mas às vezes nos entretemos tanto nele que nos sentimos como um “deus”, pensando apenas em nós mesmos. Como? Vendo o que gostamos. Queremos ver a Praça de São Pedro, então, no celular, abrimos a página do Google e pronto – sentimos ter a onipresença e onipotência (porque de certa forma temos mil e uma informações).

Se pararmos para cada coisa digital, não conseguiremos estudar, trabalhar, ler e assim por diante. Precisamos nos disciplinar para usar o mundo digital com sabedoria e não perder tempo. E temos que ter nosso olhar para as necessidades dos outros. É muito mais agradável e fácil usar o Instagram e ver o que está acontecendo, mas – como São Josemaria Escrivá disse – temos que estar no que fazemos. Mesmo para as mulheres, que podem fazer várias coisas ao mesmo tempo, é importante fazer uma coisa em seu tempo para fazer com consciência e bem feita.

Estar no mundo digital, tem suas consequências:
1º – O hábito de usar tecnologias digitais e mídias sociais nos faz perder tempo em 45 minutos, pelo menos.
2º – O modo como interage com nossas emoções, dissipa e muitas vezes remove a capacidade do cérebro de pensar objetivamente sobre qualquer fato.
3º – Estar no mundo digital, de alguma forma, nos fecha do mundo real.

Mas o mundo digital pode ser bom, porque você pode ler e escrever bons posts. O importante é utilizá-lo com discernimento de como usá-lo para mim e aos outros. Como usamos esse mundo a nosso favor? Viver a temperança. Saber em que circunstâncias vou usar o Instagram (que horas e por quanto tempo) – “Vou usá-lo por 45 minutos no final de semana”. Faça isso e, se necessário, use um alarme.

girl in a cafe with a smartphone

Garota aproveitando o momento. Fonte: Kireyonok_Yuliya / Freepik

Como o mundo digital ajuda na virtude da justiça? Você pode responder alguém que decidiu ajudar. É uma constância de ora dizer sim e ora dizer não. Quando alguém faz uma postagem intrigante, o que fazer? Seja prudente. A virtude que nos move a quando ficar quieto e quando agir. Controlar o nosso impulso de usar essas poderosas ferramentas que podem nos edificar ou destruir.

Devemos usar essas ferramentas pela virtude da caridade. Postar ou não? Enviar ou não? O quão benéfico será para os outros? O quão bem fará para os outros? Tenhamos a fortaleza de saber como usar essas ferramentas. Ao mesmo tempo, pode ser bom postar algo engraçado (e apropriado), porque alguém triste pode se animar. Ai a importância do sentimento.

Todo mundo tem uma missão. E o mundo digital não é algo alheio, é uma missão que deve ser desempenhada tanto no mundo digital quanto no mundo real. No mundo digital, não deixo minhas convicções e minha fé fora.

Todos nós temos liberdade de expressão e, do outro lado, o direito de honrar. Qual é o equilíbrio entre eles? Primeiro, relatar fatos. Você foge disso quando mente e fala mal do outro (dá maus adjetivos, isso já viola a honra do outro – não importa quem seja). Nós devemos ter um compromisso com a verdade. Existe alguma razão relevante para postar uma briga? Não.

Três casos: calúnia (acusar alguém publicamente de um crime), difamação (atribuir alguém falsamente por um crime) e injúria (ofender alguém, por escrito ou verbalmente). Se você está em dúvida, pense “Será que isso é necessário?”, “Será que a pessoa conseguirá se defender?” (se não, então estaremos agindo com antipatia). Cada um tem seu estilo, mas é importante não causar embate.

Fábio Toledo – Juiz de Direito em Campinas. Também é colunista do Correio Popular de Campinas e de outros jornais.


Digital responsibility

How to find yourself on digital world? The problem is how we react face on it, not the time question, properly. The speaker, Fábio Toledo, judge of law, told that to keep updated on the news all time can change our humor, dragging us down. E-mails, messages, posts and news’ headlines, normally influence our humor, because they are well thought and planned for that.

Therefore, we can left our mind and heart as loose, unfocused. We must resist the temptation to use cell phone or another technology before sleeping, for it can make us lose an hour of sleep. The digital world has many good things, but sometimes we entertain so much in it that we may feel as a “god”, thinking only of ourselves. How? Just looking at what we like. We want to see St. Peter’s Square, so we open our digital tool on Google’s page and just get it, feeling some kind of omnipresence and omnipotence, because of the possibility to get any information – when and how we want –  we search for.

If we stop for every digital inducement, we never won’t be able to study, work, read and so on. We need to discipline ourselves to use the digital world wisely, in order not to waste time. Also, we have to keep our sight for other’s needs. That’s true, it’s much more agreeable and easy opening Instagram or Facebook to see what is happening, but – as St. Josemaria Escrivá said – we have to be on what we do. Even for women, who can do a lot of things at the same time, is important to do each thing at its time, just in order to do this with conscience and well.

Staying on digital world has its consequences. The habit of using digital technologies and social media makes us waste time for 45 minutes, at least, apart from dulling mind. The way it interacts with our emotions, dispels and many times takes off brain’s ability to think objectively about any facts. That’s why being on digital world for hours, shuts people, somehow, face real world.

However, the digital world can be good, for you can read and write good posts, get and share good informations and thoughts. What really matters is use it in conscience – with good and common sense – in order to worth time to stay with people and make all good we can.

How can we use tools in our favor for this? Living with balance. Knowing under what circumstances I’m going to use Instagram (what time and for how long) – “I’ll use it for 45 minutes in the weekend”. Do it, and, if necesssary, use an alarm.

Futuretouchscreentechnology3_thumb

Future touch screen technology. Font: Cooles Tech

How can the digital world can help on virtue of Justice? You can use it to answer someone you’ve decided to help. It requires some constancy of saying yes or no, according as circumstance. When someone makes an intriguing or provocative post, what must I do? To be prudent. The virtue that moves us when to act and when not, when to be quiet and how to act. Control our urge to use these powerful tools that can develop or destroy us.

We must make use of these tools by virtue of charity. Post or not? Send a message or not? How beneficial will it be to others? How good can it make to others? Let us have the wisdom to know how to use these tools and fortitude to act in consequence. At the same time, it may be good to post something funny (and appropriate), because someone sad can cheer up. There we find the importance of feelings.

Everybody has a mission. And the digital world isn’t something unrelated with it, it is a mission that has to be performed in the digital world as much as in the real world. In the digital world I musn’t quit my convictions and my faith out. We all have freedom for expression and the right to honor. Where is the balance between them? We must have a commitment to the truth. First, just report facts.  You are out of it when you lie and speak badly of someone, giving bad adjectives, for it just violates other’s honor – no matters who the person is. Is there any relevant reason to post a wrangle?  Never.

Three cases on Rights matter: slander (to accuse publicly someone of something by a lie), defamation (to denigrate someone’s name or public image) and insult (offending someone, by writing or verbally).  If you’re in doubt, just think: “Is it necessary?”, “Will the person be able to defend himself?”, “Why am I posting this commentary?”, “Am I thinking on this other person’s well, with my word’s shots?”, If not, maybe I’ll be acting for mere antipathy. Each one has his style but it is important to be care on causing clashes.

Fábio Toledo – Campinas/ São Paulo/ Brazil. Judge of Law in Campinas. He is also a columnist from Correio Popular  and other newspapers.

Cover – credit: youtube.com, 90 second – “A Day Made of Glass: Montage”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s